0

Switchback : sobreviventes do caos!

Switchback conversa conosco sobre o mais recente trabalho entitulado de “Sobrevivendo do caos”!

Qual é a cidade da banda?como é a movimentação cultural local atualmente?

Nós somos de Niterói – RJ.

Aqui tem muitas bandas de vários estilos, tanto autorais, como covers, mas ainda carece mais espaços para tocar, mas se considerarmos a cidade de São Gonçalo como parte da cena, aí sim o bicho pega, pois tem locais e um público insano!

A cena no Rio de Janeiro é mais movimentada e com isso permite que as bandas de outras cidades do estado do Rio, possam mostrar o seu trabalho.

Vcs já tocaram juntos anteriormente?

Eu (Luciano Munhoz, baixista), o Vinny (vocal) e o Leonardo Quintieri (bateria), já tocamos em outra banda juntos nos anos 90, e o Fábio Lannes, o Índio (guitarra) veio de outra banda também no mesmo período, podemos dizer que somos veteranos da cena de som pesado de Niterói que surgiu pós Rock in Rio 1.

Quais foram as principais referências pra montar o grupo?

Punk Rock, Hardcore e Metal, embora todos nós ouvimos muita coisa que possa nos influenciar de alguma forma. Curtimos desde do Metal clássico e até Reggae. Se a vibe do som “bateu”, isso pode ser uma influência para nós.

A banda participou de alguns shows/festivais,nos falem desses momentos

Tocamos em São Gonçalo, no Rock’n’Beer Pub algumas vezes, dividindo o palco com bandas fodas e todas as vezes foram demais pela energia que emana daquele pico!

Participamos de edições Mosh In Park, HC São Gonçalo, dentre outros.

Mas um show em especial foi o Rock in Paulista em SP. Tocar na Av. Paulista no domingo na rua com um público diversificado foi muito bom!

Como foi gravar “sobrevivendo do caos”? 

Divertido e desafiador. 

Divertido porque o maior objetivo da banda é trazer diversão pra gente.

Desafiador porque apostamos todas as nossas fichas para gravar um material com a melhor qualidade possível, conforme o tempo e orçamento disponível.

Nos falem das particularidades de cada faixa do EP

“Lona”: É uma analogia entre o dia-a-dia de um cidadão comum e uma luta no ringue. São os altos e baixos, com planejamento e estratégia para vencer na vida não se deixando abater por qualquer obstáculo ou rasteira que a vida nos dá.

“Sobrevivendo ao Caos”: Fala sobre o mundo corporativo que procura controlar e enquadrar o trabalhador, mas apesar disso, não aceita e não se enquadra nesse status quo.

“Lutando pela Vida”: Essa letra é de 1988, o Vinny a resgatou da época que ele cantava numa banda punk tosqueira. 

Ele nos apresentou a letra e sugeriu uns riffs com a voz, mas finalizamos a composição juntos. Fala de menores abandonados e apesar do tempo, continua bem atual.

“Chacina Sinfônica em F#m”:  Instrumental que abrimos nosso show que acreditamos ter bons riffs que empolgam e agitam o público!

Qual mensagem que vcs buscaram transmitir nesse trabalho?

Mensagem de “não subserviência”, de acreditar no seu potencial e que mesmo que as coisas não saiam como você planejou não desistir e que nada vai perturbar a nossa paz! Sobreviver ao Caos, sempre!

O que planejam pra breve?

Após o lançamento de “Sobrevivendo ao Caos” no final de maio, o plano é botar o pé na estrada  e tocar no máximo de lugares, conhecer bandas,pessoas e contribuir com a cena underground que continua muito viva! 

Estamos fechando algumas datas em São Gonçalo, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.

Considerações finais

O Switchback agradece todas as pessoas que acreditaram na banda, apoiaram nossos shows e a gravação do EP, que está em todas as plataformas digitais.

Estamos no Instagram, Facebbok e YouTube, é só seguir para nos conhecer um pouco mais.

Obrigado Raro zine, por nos permitir a falar sobre nós!

Valeu! Rrrrooaaarrr

Fotos por Gabriela Blanc  

Facebook

Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *