0

Agitando a alma com o The Flaming Sideburns!

Com novo single em mãos, Soul Shaking, conversamos com Eduardo “Speedo” Martinez , sobre essa nova fase do The Flaming Sideburns.

Confere!

Bem, os Flaming acabam de lançar um novo single “Soul Shaking”, depois de 12 anos de “Keys to Highway”, como foi todo esse processo?

“Soulshaking” é o primeiro single da nossa própria autoria em 12 anos e significa o retorno da formação original com Arimatti Jutila (também conhecido como Jeffrey Lee Burns) na guitarra. Em 2010 Beasto RCDs ele tinha nos editado na Espanha um 7 “, com uma versão do Radio Birdman cantada em espanhol e outra versão do Vox Dei, uma banda de Argentina. Tentamos trabalhar em um álbum desde a formação anterior, mas não funcionou. pouco tempo depois, nosso baixista The Punisher também deixou a banda por cerca de 5 anos e deixou as coisas ainda mais complicadas. Em 2015, para a celebração do nosso 20º aniversário, nós voltamos pela primeira vez , os 5 originais e sentimos que as coisas eram como em 2002, a nossa época dourada, antes de Jeffrey Lee Burns , abandonar Finlândia para resolver ficar com sua família em Durham, Carolina do Norte. mantivemos contato. Em 2017 fizemos shows e pensamos que a banda acabou, e em 2018 o  “Beasto’ nos ofereceu outra turnê pela Espanha e decidimos fazê-lo com a formação original, e logo em seguida começamos a compor músicas novas como nos velhos tempos.Estou muito orgulhoso do resultado!

Quem fez a capa do single?

A capa do single “Soulshaking” foi feita por João Pimenta e o próximo “Trance-Noché” para El Beasto Rcds está sendo feito pela minha filha!

No ano passado a banda se encontrou depois de 17 anos com a formação clássica, como foi essa fase para vocês? E como o público reagiu?

Foi muito importante para nós para re-executar apenas os clássicos da formação original como “Emotional Son” (o EP split com Hellacopters “White Trash Soul” 2000), “Lonesome Rain” do “Hallelujah rock n roll”! (2001) que não tinha sido executado desde então, como os nossos duas primeiras músicas em espanhol “Do The Bama Lama” & “Sweet Christeen”, gravado por Matt Verta-Ray (Heavy Trash), em Nova York, de 1999 , que foram pra nossa primeira edição em espanhol do selo Safety Pins, do Kike Turmix, um lendário guru que apresentou toda a cena escandinava de “rock action”  para o público latino. A resposta da turnê foi incrível, todos os shows estavam esgotados!

Vamos falar um pouco sobre os videoclipes feitos pela banda

Nosso primeiro vídeo, “Blow The Roof” foi uma montagem com partes do show que apresentamos no Tavastia Club em Helsinki, para o álbum ao vivo “Hallelujah Rock n roll”. Nosso segundo “Flowers” foi filmado no clube  Semifinal, onde começamos oficialmente com a banda. Existem muitos amigos que participam desse vídeo. “Street Survivor” tem partes de nossa primeira turnê na Costa Leste na América do Norte (apenas um show na Filadélfia) e partes de um documentário sobre Buenos Aires transmitido na Finlândia e gravado em voz por mim. Para o vídeo de “Since The Begining” o dono de uma empresa de produtos americanos conhecida pela banda, nos emprestou uma limusine e fomos ao redor da área, hahaha! Há partes em que estamos todos fora, que foram filmados com a câmera traseira do carro! E tem ‘takes” de shows “ao vivo” que fizemos nessa visita.

Na nossa opinião como é  ter o “Save Rock n roll”  e o “Hallelujah rock n roll’ ,  na lista dos melhores álbuns do Garage Rock?

Todos os álbuns da banda são um grande orgulho, embora Keys To The Highway seja o que eu menos gostei de fazer! Sky Pilots é um excelente álbum e é muito bem produzido, mas não é rock de garagem. “It’s time to testify… Brothers & Sisters” (1999) e Hallelujah Rock’n’Rollah! Sim eles são parecidos como o nosso próximo álbum para 2020.

Como é a cena escandinava hoje? Quais bandas você poderiam citar pra que conhecessemos.

A cena escandinava é sempre interessante, mas acho que hoje em dia, e em todos os lugares – não apenas na Escandinávia – tudo é ainda mais difícil do que antes para as novas bandas. A grande maioria não tem consistência … eles parecem entrar e sair em um período de aproximadamente dois anos. Existem milhares de bandas constantemente em exibição através das redes sociais, mas as pessoas saem para ver o quão seguras, que geralmente são as bandas antigas. Aqui na Finlândia ainda estão Radiopuhelimet, Cosmo Jones Beat Machine, Knucklebone Oscar, Barbe-Q Barbies, Mara Balls e Fox Confession. Da Suécia gosto do Märvel, Heavy Tiger, Ebbot Lundberg & The Indigo Children, Union Carbide Productions, The Nomads e obviamente Hellacopters.Pelo nosso baterista Jay Burnside, ouvi dizer que Viagra Boys são muito bons e com respeito a Noruega fiquei estagnado na época do Gluecifer e Turbonegro, não conheço muita coisa de lá não… e menos ainda da Dinamarca. D-A-D ainda estão ativos.

Qual foi a razão de apenas gravar novamente agora?

Nós já temos o antigo legado da banda de volta e agora a única oportunidade de podermos recriar o novo material com isso, a melhor formação de banda de todos os tempos, então enquanto ainda estamos vivos, não vamos desperdiçá-lo! Há também algo na música e no pessoal das bandas chamado química, em que certos componentes não podem ser substituídos por outros, para alcançar o melhor desempenho desejado. Isso geralmente acontece com os melhores grupos de rock e com os músicos que têm mais experiência.

Como foi produzir “Back to the grave” ?

“Back To The Grave” (2005) e “Back 2 The Grave” (2008) foram coletâneas com muitos covers e material que acabaram não entrando em nenhum outro álbum de estúdio da banda. Alguns covers já eram antigos, lados B de algum outro single, e outras (2 músicas por álbum) próprio material que tinha que ser finalizado para a ocasião. Eu fui o produtor comissionado pelas gravadoras para completar o projeto e, embora tenha sido difícil para mim, aprendi muito e estou satisfeito com o resultado, apesar de saber que há coisas que poderiam ter sido melhores. O que eu mais gosto hoje além de nossas próprias músicas, são os dois covers do MC5 com Wayne Kramer “Let Me Try” e “Sister Anne” gravadas ao vivo.

Voltamos a 2008, para uma noite incrível no SP Noise Festival, o que vocês lembra daquela noite?

Que estávamos com muita fome e que as pizzas levaram horas para chegar, hahaha !!! Havia também as câmeras da MTV e essa foi a única nota que fizemos para eles na América do Sul.

Quais são os principais objetivos do grupo hoje?

Ir em frente com as gravações do álbum e cumprir nossos compromissos de voltar este ano, pra girar pela Finlândia e na Espanha mais uma vez!

Todas as fotos por Ville Laine

Facebook

Instagram

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *