0

Intergaláticos : os uruguaios do DSM!

O trem desenfreado dos uruguaios do DSM , para na próxima estação que é o Brasil, os caras em menos de 2 anos voltam ao país, pra mostra um pouoco da sua energia, falamos sobre o que nos espera.

Quando surgiu o DSM e porque DSM?

A Dsm surgiu em julho de 2018 como algo mais que uma proposta musical. Jonas e Sofia Ferrari criaram um conceito artístico que abrange não apenas o espectro musical, mas também a parte visual. Esta proposta atravessada pelo conceito de “loucura”, conspirações, OVNIs, intraterrestres e extraterrestres.
O conceito de loucura cruza toda a nossa trajetória. Algum encaminhamento ao psiquiatra, alguma experiência de acompanhar amigos em situações de crise, onde nos aproximamos do mundo que envolve a concepção e experiência do que se chama de “loucura”. Daí a preocupação em explorar a loucura do musical e tudo o que acontece no palco, do cenário aos figurinos. Ter um objetivo claro ajuda a concentrar as energias para fazer isso de uma maneira melhor, o nosso show.
O DSM também é outro projeto: uma revolução baseada nos princípios do rock and roll, afinidade e magnetismo telepático e / ou telecinético.
Ele está se movendo por afinidade e obtendo um mundo explorado por poderosos para ser nosso novamente e para isso precisamos de todos vocês.

De que maneira eles quiseram soar no começo?

No primeiro (e até agora) queríamos soar como bandas que gosto muito do Uruguai: Fools (liderados por Renzo Teflon em 1986 band), Os Jetsons (a melhor banda surfrock do mundo) ou Meninos Elétrica (banda liderada pelo soldado do rock Nico Barcia)
Temos também grandes influências marcadas como revolucionários cães raivosos MC5 ou The Stooges, também com alguns do álbum Raw: stoner, punk, ou alguns hardcores sangrentos como Turbonegro ou Motosierra.
Em nosso estilo, chamamos Rock Electro cortante ou afiado e quem nos escuta não sai saudável.

Como é ser um quarteto hoje?

Hoje a banda cresceu muito. Em um ano fizemos duas turnês e agora o Brasil e a Argentina estamos voltando. Essas experiências tornaram a máquina bem lubrificada e a amizade também.
Cada um cumpre seu papel dentro e fora da banda, enquanto cada um trabalha para alcançar o som que nossas doenças mentais precisam.
Estamos não só 4 na banda, também temos dois amigos produtores que nos ajudam e nós não podemos negar nossos contatos alienígenas que irá nos guiar nesta revolução chamada #dsmmania

Como foi essa primeira turnê no Brasil?

Foi um público fácil de alcançar porque eles entenderam desde o início esse conceito que estamos desenvolvendo. Em agosto do ano passado gravamos nosso primeiro videoclipe (letra e música : Sofia Ferrari) e produção TEVE Alterna e direção de Santiago Salles (atual DSM baixista), que gravou o vídeo para esta canção. Vendo que teve um bom impacto no Brasil, decidimos tentar a sorte por lá.

A viagem foi uma experiência muito boa para a banda, com locais cheios , alguns festivais , conhecemos muito bons amigos de outras bandas que nos receberam em suas casas, compartilhamos momentos muito bons de rock and roll e outras ervas nas várias cidades que passamos e com bandas diferentes.

A verdade é que foi impressionante e este ano chegamos pra mais!

Quais são as expectativas para o passeio aqui em julho?

A verdade é que temos muitas datas que vão de Porto Alegre a Socorro (SP), passando por São Paulo, Rio de Janeiro, Esteio (RG) e Sapucaia (RG). Estamos felizes porque parece que eles estão esperando por nós e nós amamos o rock and roll do Brasil. Então lá estaremos bebendo cachaças com você !!!!
E como sempre, querendo fazer novos amigos …

Como foi fazer o primeiro registro feito?

O primeiro álbum foi todo bolado pela primeira vez por Jonas e Sofia em uma semana inteira no estúdio compondo e gravando. Então Libertino, nosso baterista flamejante (conhecido como o filho da velocidade e do fogo), foi ao estúdio e gravou a bateria.
Mais tarde, nosso engenheiro de som e guru musical Diego Varo, mixou e masterizou o álbum no estúdio LE GARAGE.
O processo foi rápido como tem sido a nossa carreira que hoje nos encontra gravando o segundo álbum que certamente iremos soltar no Brasil em novembro ou dezembro.

Falem  sobre o videoclipe de “Que genial ” .

Quando começamos a ensaiar nós apenas ensaiamos uma música (Que genial – Sofia Ferrari) e nessa música nos focamos em fazer um clipe de vídeo para ser a nossa carta de apresentação.
3 pessoas fazendo barulho em uma sala de ensaio. Para isso chamamos nosso atual baixista (Santiago Salles) que veio até nós fazendo algumas fotos da banda, e confiamos nele para fazer o audiovisual.
O trabalho custa 3 cervejas e algumas substâncias proibidas que não podemos contar, medicamentos psiquiátricos e essas coisas

Quais os próximos objetivos ?

O próximo objetivo é ter um bom tempo no Brasil, fazer a revolução se expandir por todos os lados, fazer mais turnês pra outros países e lançar o novo álbum no final do ano.

Considerações finais

Convidamos a todos para nossos shows. Não só será o mais selvagem e vertiginoso que você vê, mas você fará parte desse momento e para sempre da #dsmmania, que é uma super revolução. Nós precisamos de todos vocês, se vocês estão com a gente , sempre estaremos juntos.

Fotos por Zero Zonico

Facebook

Instagram

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *