0

Continuar correndo : Red Foot!

Thiago Guerra , guitarrista do Red Foot , fala conosco sobre a obra já lançada pela banda!

Quando formaram o grupo?

A banda foi formada no começo de 2011,  em conversas pelos bares da da cidade e aquela vontade que de mandar um som.
 
Quando rumaram pra tal sonoridade?
 
A banda sempre teve o blues como principal influência, com o tempo as músicas foram se moldando de maneiras diferentes conforme todos se expandiam em sua sonoridade e acrescentavam influências diferentes ao som.
 
Como é o processo de composição da banda?
 
As letras são feitas pelo nosso vocalista, Pexera, as vezes a partir de algum riff que ele já trás pra gente, outras que criamos nas jams da banda ou que mandamos pra ele em algum momento.
 
 
Porque Red Foot?
 
O nome vem do apelido dado pra galera que vem do norte do paraná, onde a terra é realmente vermelha.  Como temos alguns maringaenses na banda e a sonoridade do nome é da hora, usamos ele.
 
Como foi gravar The Road?
 
Em 2012 nós participamos de um festival de bandas e ficamos em 3º lugar, a premiação era a gravação e o lançamento de 3 músicas, tínhamos umas 10 hrs pra gravar. Aproveitamos pra gravar o álbum todo, tocamos tudo ao vivo, pra que o som do álbum fosse como era no show, bem direto.
 
Quem são os responsáveis pelas artes dos álbuns?
 
Nós temos alguns mestre das artes gráficas conosco, o Vitor Oliveira (Vitão), o Christiano Carstensen que é também batera da Rabo de Galo e o Francis Kodama.
 
Como foi trabalhar no Borderline?
 
Durante o período que este álbum foi composto muitas coisas também foram acontecendo, como a entrada do Guilherme na batera por exemplo, o que acabou atrasando a gravação das músicas, por um lado ruim, mas bom por outro, já que tivemos mais tempo tocando e fermentando essas músicas.  Também tivemos mais tempo de estúdio para a gravação, tudo foi gravado separado, queríamos explorar um pouco mais de algumas sonoridades que estávamos experimentando.
 
 
Qual a ponte de ligação do primeiro pro segundo disco?
 
No primeiro álbum nós seguíamos calmamente pela estrada do blues, apenas nos divertindo com a soznera, no segundo álbum nós começamos a passar por caminhos mais pesados, psicodélicos e chapantes e depois disso quem pode dizer o que vem a frente né?
 
Como surgiram os vídeoclipes do grupo?
 
O primeiro vídeo clipe surgiu numa brincadeira que estávamos fazendo com uma go pro durante a gravação do álbum, ai a galera do estúdio 42 topo a doidera, fizemos uma festa em um bar da cidade e foi que foi. 
O Segundo clipe tivemos o Gabriel Lunardi trabalhando conosco, mostrando um lado um pouco mais rock n roll da Red Foot. 
 
Quais são as próximas metas?
 
Nós já temos algumas músicas novas saindo, estamos matutando se lançamos elas já ou se esperamos mais algumas e ai lançamos outro álbum completo. E claro! Cair um pouco mais na estrada.
 
Fotos por Murilo Ribeiro

Facebook

https://www.redfootband.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *