0

Help Brasil : Chaotic System!

Chaotic System , formado por Magno e Eduardo falam da banda, singles, e do registro que deve sair em breve.

Quando de fato iniciaram as atividades?

Magno Vieira: Iniciamos em Duque De Caxias RJ em agosto de 2008.
Basicamente após o final da banda Mastery de Thrash metal, que foi nosso
embrião.

Como adotaram o nome pra banda?

Magno Vieira  : No nome veio do primeiro disco da banda mineira Eminence que se chama “Chaotic System’,  não sei bem por que a pira mas achei o disco e o nome bem legal e propício pra proposta que iriamos concretizar.

Eduardo Martins: Eu não estava na banda nessa época mas acredito que o nome “Chaotic System”,  veio a calhar muito bem na proposta da banda, que sempre fala sobre o caótico sistema social em que a gente se insere. Sem contar que é uma ótima alegoria do “homem preso ao sistema”

Que tipo de sonoridade queriam executar?

Magno Vieira: Aproposta sempre foi fazer isso: misturar Crust, Punk, Hardcore e Grindcore “old school” de protesto.

Eduardo Martins: Como ambos vieram de bandas de metal, você vai perceber coisas de thrash e death metal também. Em suma, uma mescla de sons extremos com a postura e pegada do punk, do hardcore, totalmente “do it
yourself”.

Como foi trabalhar no primeiro registro?

Magno Vieira: Foi fácil, nosso processo de composição nunca foi um problema ou algo difícil de fazer, independente dos line up que tivemos, sempre temos músicas e ideias pra desenvolver, até hoje funciona assim, sempre temos sobras pro futuro. Então, se a gente está lançando um novo trampo, pode ter certeza que já tem uns trampos engatilhados para o futuro. (risos).

Qual a diferença ou semelhança dele pro mais recente?

Magno Vieira: A diferença está nas gravações, na produção e no momento bom que a banda está pois a essência é a mesma. O fato de você trabalhar com pessoas organizadas e que tem foco conta muito para uma boa produção e um
resultado eficaz.

Eduardo Martins: Acredito que hoje em dia a banda tá mais madura, mais experiente e habituada aos trâmites de gravar e produzir em estúdio. Isso vem com o tempo. O nosso som é muito agressivo, com passagens barulhentas então se você não tiver cuidado, a mensagem vira ruído e não fica legal. Já a essência é a mesma: bando de suburbano operário puto com o que rola no mundo! (rsrsrs)

O que buscaram dizer no mais novo material?

Magno Vieira: Como sempre o câncer que o nosso pais e o mundo vivem, não dá pra deixar batido o que está acontecendo no Brasil e no mundo.

Eduardo Martins: Tanto o “Help Brasil” e o “Human Decay”, foram concebidos na mesma época e ambos possuem a mesma mensagem que é essa desigualdade social absurda que acontece aqui, além de temas bem atuais como o vício nocivo por redes sociais, o egoísmo, a ganância dos ricos, o descaso dos políticos, esse neo fascismo… E tivemos mais cuidado com as artes também.

Quais os próximos passos?

Magno Vieira: Não paramos, somos “fominhas”. Vamos continuar gravando, fazendo vídeo clips, divulgando nosso trabalho por aí e quem sabe fazer uma série de shows pra promover nossos novos lançamentos, é basicamente isso.

Eduardo Martins: Estamos sempre trabalhando de forma incessante mas ano que vem lançaremos nosso primeiro álbum, pois já tá na hora de sair um full. E sim, estamos muito pilhados pra voltar aos palcos e mostrar nosso trampo ao vivo.

Considerações finais

Gostaria imensamente de agradecer ao espaço cedido, é de extrema importância pois acreditamos que mais pessoas vão conhecer o Chaotic System a partir dessa entrevista. Agradecemos também a todos que nos seguem e nos dão apoio. Nas nossas redes sociais tem tudo o que a gente vem produzindo ao longo desses anos e fiquem atentos que vem MUITA coisa por aí! Muitíssimo obrigado pela entrevista!

Fotos por Tatiana Ribeiro

https://www.facebook.com/chaoticsystemcrustgrindcore/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *