0

O Psychobilly do Spitfire Demons!

Batemos um papo com o Spitfire Demons, que em breve soltam seu debut de estréia, e fomos nos informar mais sobre isso!

Quando decidiram iniciar as atividades?

Alan: Fui convidado pelo Maniac Biffs e Alex From Hell, logo que não acharam nenhum baterista ( hahahahahha)

Alex: O Reverendo Frankenstein, minha banda na época, estava parado por alguns problemas internos e eu não consigo ficar sem tocar, né? Aí lembrei que encontrei com o Biffs um tempo atrás e ele tinha me falado que tava procurando gente pra montar uma banda nova e fui conversar com ele.

Biffs: Eu já tinha vontade há tempos de montar uma banda psycho do zero. Conversei com o Alex e ele topou. Daí depois de um tempo pensando em bateras resolvemos chamar o Alan, que já havia tocado comigo anteriormente no Krents. Eu já havia considerado ele desde o começo, porém hesitei um pouco devido ao fato dele morar em outra cidade. Mas, no final, tudo acabou funcionando bem.

Como vcs veem o Psychobilly aqui no Brasil e no mundo?

Alex: Parece que o rock aos poucos tá renascendo outra vez. Quando mudei pra SP em 2007, era um cenário muito diferente de hoje. Sempre tinha vários shows rolando, bandas nova e público nas casas. Hoje, é bem diferente, mas tem melhorado também. O pessoal tá se reunindo e montando bandas, produzindo eventos na raça, gravando, lançando. Acho que, em breve, as coisas vão voltar a acontecer como era naquela época.

Alan: Sinto que está crescendo novamente, de um tempo para cá notei que está surgindo mais bandas novas porque há alguns anos não via tanta banda.

Biffs: No Brasil infelizmente a cena caiu um pouco nos últimos anos. Tivemos anos bem movimentados, com bastante público e bandas (2006 ~ 2012), mas desde então a cena tem dado uma caída (não só a Psychobilly, mas o rock em geral). Mas creio que logo teremos um novo ciclo que trará mais movimento às coisas. No mundo a cena continua firme e forte, com novas bandas pipocando e festivais cada vez maiores. Espero que continue assim!

Vcs já são músicos experientes, e passaram por outras bandas do mesmo segmento, além do Spitfire há projetos paralelos ?

Alan: Eu tenho uma banda de hardcore (Charlie Road) que eventualmente tocamos, a banda tem uns 30 anos .

Biffs: No momento também estou com um projeto de Punk-Rock, na pegada Operation Ivy/Rancid. Não estreamos ainda, mas teremos novidades para o segundo semestre.

Alex: Atualmente, toco só no Spitfire mesmo. Mas sempre que posso faço shows com o Reverb All Stars, tocando surf music clássica.

Falem um pouco da temática abordada nas letras

Biffs: As letras seguem a linha típica do Psychobilly, aquela temática terror “filme B” com uma pitada ironia e sarcasmo. Ao contrário de outras bandas, nossas letras têm base quase que puramente fictícia. Há momentos aqui ou ali que fazemos referências à realidade ou a algum acontecimento, mas são raros.

Como é o processo de composição do grupo?

Alan: Um de nós traz uma ideia e lapidamos até ficar afiada. Não nos contentamos nunca quando a ideia acaba ficando muito comum, e já trabalhamos em que a música fique  realmente com a cara do Spitfire Demos, 100% das vezes.

Biffs: Começamos com uma guia base composta em partitura e transformada em uma track MIDI. A partir daí modificamos em ensaios até chegarmos a um consenso, atualizamos a MIDI e a utilizamos para treinar em casa e posteriormente como guia para gravações.

Nos shows vcs costumam fazer algumas versões,nos falem sobre elas

Biffs: No começo tocávamos um som do Motörhead (“Bomber”) e um do Dead Kennedys (“Insight”). São bandas que gostamos, sem contar que “Bomber” tem haver com a temática da banda. Atualmente tocamos versões de Pete & the Testtube Babies (“Banned from the pub”) e Offspring (“Staring at the sun”), além de um som do Voodoo Stompers, que foi minha primeira banda de psychobilly.

A banda está em estúdio pra gravação Death From Above , EP de estréia , como está esse processo?

Biffs: Estamos terminando as gravações. Tudo está saindo surpreendentemente bem e estamos conseguindo empregar um ritmo legal. Devemos terminar neste mês

Considerações finais

Alan: Essa é a primeira banda que eu entro no começo dela, isso realmente é especial!

Biffs: Obrigado pela oportunidade da entrevista! Estamos muito ansiosos para lançar nosso EP e divulgar nosso som. Vocês vão gostar!

Fotos por Sid Pics

Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *