0

Plantando e cultivando música : Pomar Trio!

Falamos com o pessoal do Pomar Trio, sobre sua trajetória e planos da banda.

Quando surgiu o grupo?

Em 2015, na Ilha do Governador, fruto da nossa longa amizade e de experiências musicais que partilhamos entre amigos, bandas, jam sessions…

Porque Pomar Trio?

O nome Pomar foi sugerido pelo nosso amigo psicomístico Rudy, e nos soou bem pela simplicidade e como uma boa metáfora para o fato do nosso encontro musical ser criativamente muito fértil, frutífero. Além disso, os elementos de um pomar (árvores, frutos, cultivo, natureza, nutrição…) sugerem muitas associações interessantes. Tem uma potência simbólica, sendo ao mesmo tempo banal, vital… Mas o nome veio e ficou como que por acaso, sem grandes pretensões.

Aqui um vômito mental posterior: Nós somos pássaros polinizadores agricultores coletores passeando na grande Árvore ou Pomar Psicodélico, a fonte universal inconsciente, à procura de frutos e sementes. Combinamos sementes diversas, plantamos e cultivamos o nosso pomar, que frutifica em música. Cada fruto tem várias sementes simbióticas diferentes. Juntamos os frutos e ofertamos para as pessoas. Todo mundo colhe da Árvore Psicodélica, todos jardineiros da fonte universal. Nós fizemos a nossa colheita e cultivamos o nosso pomar.

Foto por Fafa Oliveira 

Desde o principio a ideia era ser um trio?

Não, na verdade a banda não foi muito pré-concebida. Sempre nutrimos uma vontade de tocar junto e compor que assumiu diversos formatos e pessoas ao longo do tempo. O trio surgiu como uma ramificação estável da história de muitos encontros entre nós e amigos, que ficou marcada, entre outras coisas, por um memorável ponto de ebulição coletiva no tempo aludido a um estúdio de garagem, o Cafofo. Mas também, quando nos vimos como trio, a ideia de fazer muito com pouco nos atraiu para seguir com esse formato.

Onde vcs buscam inspiração para composição?

No manancial etéreo da imprevisibilidade, no fluxo de (in)consciência da improvisação, na boa e velha jam session.  Nos munimos dos instrumentos sem prescrição e tateamos o desconhecido à procura das sementes e frutos mais saborosos, que vamos cultivando e montando como um quebra-cabeça.

Foto por Sebastian Salty

O que facilita na logística de um powertrio?

Facilita a convergência de agendas para marcar ensaios, shows… Podemos ter mais mobilidade e portabilidade em termos de transporte, equipamento e estrutura de som, o que também nos facilita para tocar na rua… A montagem de palco e passagem de som são mais rápidas…

O disco vem em breve?

Sim! Estamos trabalhando nisso, gravando e produzindo com muito carinho e paciência.

Foto por Paulo Quintella 

Serão 9 canções? O que se pode esperar do álbum?

É o nosso primeiro lançamento, os primeiros frutos. 9 composições instrumentais que são um quadro da nossa trajetória como banda até então. Estamos experimentando as possibilidades do estúdio também como processo criativo, então a música está indo um pouco além de como tocamos ao vivo.

Quais as próximas metas?

Fazer shows e turnês Brasil e mundo afora, divulgação, e trabalharmos em novas composições latentes.

Considerações finais.

Muito obrigado pela entrevista!!! A música é para todos!!

Foto principal por Sebastian Salty 

https://www.facebook.com/pomartrio/

https://www.instagram.com/pomartrio/

https://www.youtube.com/channel/UCMSomf-pQZ3KQfCwb4vHZHw

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *